Grapia (Brazilian Gold Wood)
Grapia

Nome científico: Apuleia Leiocarpa

Nome em português: Grapia

Nome em inglês: Brazilian Gold Wood

Características da Madeira: Massa específica aparente: a madeira da grápia é densa (0,75 a 1,00 g/cm3), a 15% de umidade (Heringer, 1947; Pereira & Mainieri, 1957; Paula, 1981). Massa específica básica: 0,67 a 0,75 g/cm3 (Ibama, 1997; Jankowsky et al., 1990).

Cor: o alburno é de coloração branca-amarelada, e o cerne varia do bege-amarelado ou amarelo levemente rosado até róseo-acastanhado, uniforme.

Características gerais: superfície lustrosa, medianamente lisa ao tato, nas faces tangenciais; textura média, desigual; grã irregular e freqüentemente revessa, mais acentuada nos cortes radiais; cheiro e gosto imperceptíveis.

Durabilidade natural: possui moderada resistência ao apodrecimento e baixa resistência ao ataque de cupins de madeira seca (Mainieri & Chimelo, 1989). Apresenta boa durabilidade em aplicações às intempéries, sempre que não seja em condições de alta umidade (Celulosa Argentina, 1975). Estacas de cerne desta espécie mostraram ser resistente a fungos e a cupins (Cavalcante et al., 1982). A vida média da madeira da grápia em contato com o solo, é inferior a nove anos (Lelles et al., 1978; Mucci et al., 1992; Rocha et al., 2000).

Secagem: madeira de secagem difícil, que deve ser lenta ao ar, bem controlada para evitar a alta incidência de defeitos (Jankowsky et al., 1990) ou ser realizada artificialmente em fornos (Celulosa Argentina, 1975).

Preservação: apresenta baixa permeabilidade às soluções preservantes, quando submetida à impregnação sob pressão (Mainieri & Chimelo, 1989). Não é tratável com creosoto (oleossolúvel) e nem com CCA-A (hidrossolúvel) (Ibama, 1997).

Trabalhabilidade: fácil, quando se usa ferramentas apropriadas devido à presença de sílica. Recebe bem cola e proporciona bom acabamento (Jankowsky et al., 1990). Quando seca, sua trabalhabilidade é difícil (Celulosa Argentina, 1975). Aceita prego (Ibama, 1997).

Outras Características: Não é muito resistente ao ataque de fungos, apresentando tendência a manchar-se, sendo conveniente a preparação de banhos preventivos com fungicidas (Celulosa Argentina, 1975). Lembra a madeira do vinhático-da-mata (Plathymenia foliolosa), porém apresenta veios mais carregados, um pouco chamativo, sendo os poros muito menores (Boiteaux, 1947). No norte do Espírito Santo, pranchões serrados de grápia eram vendidos em mistura com a peroba-do-campo (Paratecoma peroba), sendo com esta confundidos propositadamente, para fins comerciais (Magnanini & Mattos Filho, 1956). A descrição anatômica da madeira desta espécie pode ser encontrada em Muñiz (1993).

Medidas fabricadas:   15 x 90,00 x (225 ~ 1400) mm
  19 x 76,20 x (250 ~ 2235) mm
  19 x 101,60 x (250 ~ 2235) mm
  19 x 127,00 x (250 ~ 2235) mm
  19 x 139,70 x (250 ~ 2235) mm